Escolha sua linguagem: Português Espanhol
 
 

Dilma e Chávez devem manter reuniões trimestrais para tratar de projetos

O Brasil e a Venezuela vão ampliar as parcerias nas áreas agrícola, social e de política externa. A idéia é fortalecer os financiamentos para a construção de casas populares e a integração na produção agrícola. Também deve ser prorrogada a interligação, por meio de comunicação por fibras ópticas, da Venezuela para Boa Vista (Roraima) e Manaus (Amazonas). Outra iniciativa é fortalecer a União das Nações Sul-Americanas (Unasul).

A presidenta Dilma Rousseff e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, devem se reunir a cada três meses para avaliar os projetos em curso e os acordos firmados. A decisão foi tomada na segunda-feira (7) durante reuniões dos ministros das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, e da Venezuela, Nicolás Maduro. Patriota passou o dia de segunda-feira em Caracas e também conversou com Chávez.

“Decidimos priorizar a questão da construção e o financiamento [de habitações populares], assim como os planos de integração e os financiamentos para a produção agrícola. Essas serão as principais prioridades dessa fase que se inicia com o governo da presidente Dilma Rousseff”, destacou o venezuelano.

As informações são da imprensa estatal da Venezuela, a Agência Venezuelana de Notícias (AVN). Depois da reunião, Patriota destacou que para o Brasil, a Venezuela “desempenha um papel estratégico”. Por orientação de Dilma, o chanceler visita os países sul-americanos em uma demonstração que a política regional será a prioridade da política externa do governo.

“O presidente Chávez quer começar muito rapidamente um intenso programa de reuniões, que devem ocorrer em breve, com a presidenta [Dilma Rousseff] para fazer um balanço sobre o que está em curso”, disse Patriota.

Nas reuniões que teve na segunda-feira em Caracas, Patriota conversou ainda com o vice-presidente da Petróleos de Venezuela (PDVSA), Chávez Asdrubal, os ministros da Habitação, Ricardo Molina, e da Agricultura e Terras, Juan Carlos Loyola.

Há investimentos de empresas brasileiras na Venezuela principalmente nos setores de mineração e construção civil. Em 2010, o comércio entre os dois países atingiu US$ 4,68 bilhões com saldo positivo ao Brasil de mais de US$ 3 bilhões.

Atualmente, o Brasil é o terceiro maior parceiro comercial da Venezuela.

Fonte:
Agência Brasil


Publicada em 15/02/2011

Voltar

 
 
 
 
Design by 3WF